Vasco de Carvalho

O contributo de Vasco de Carvalho para o Fundo Local da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco

A terra de Vila Nova de Famalicão é muito devedora à figura de Vasco de Carvalho que trabalhou para o conhecimento da História local, recolhendo informação, investigando, escrevendo na imprensa e na sua colecção monográfica “Aspectos de Vila Nova”, sobre variadíssimos temas da história do concelho.

Foi grande o mérito deste homem, que dedica uma vida ao amor por uma terra, que acredita só ser possível estudá-la, esmiuçando o passado, reflectindo o presente e garantindo o futuro. Prova disso é a doação, de toda a sua biblioteca, livros e documentos, à Câmara Municipal, para integrar o fundo documental da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, no ano de 1961, pouco antes de falecer.

Assim, pôs à disposição de toda a comunidade, aos investigadores e curiosos, os seus conhecimentos, desde as origens desta terra, até à época contemporânea. São milhares de documentos com informações sobre monumentos, festas, figuras populares, feiras, personalidades locais, homenagens, vida política, comércio, etc.

Hoje, a sua biblioteca está integrada no Fundo Local da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, e é composta por cerca de 3.000 livros, sobre temas variados, que pode ser consultada no catálogo bibliográfico 10.387 documentos (cartas, cartazes, folhetos, apontamentos manuscritos, fotografias, recortes de imprensa, etc.), a maioria sobre o concelho de Vila Nova de Famalicão, e uma vintena de títulos de publicações periódicas, que podem ser consultados no Fundo Local.

Estes milhares de documentos estão organizados em álbuns temáticos, a que nós chamamos na “Bibliografia” – Miscelânea, preparados pelo próprio Vasco de Carvalho, onde reúne diversos materiais – impressos, manuscritos e material gráfico.

Outros documentos avulsos estão organizados em Pastas temáticas, ainda na ideia inicial do autor, mas hoje divididos em temas, de uma forma menos pessoal. Estes documentos não constam na “Bibliografia”, excepto o manuscrito “Notas sobre a Rua Direita desde 1835”.

O passo seguinte, para facilitar o acesso à informação, contida em todos estes documentos sobre Vila Nova de Famalicão, será a indexação dos mesmos, de modo a criar um índice de identificação de conceitos representativos do seu conteúdo, com exaustividade e especificidade. Não deixa de ser um desafio que, a ser cumprido, atestará o empenhamento e o vigor da biblioteca pública, enquanto serviço público de interesse para o cidadão.

A Biblioteca Municipal, integrada na Rede Nacional de Leitura Pública, dotada de espaços, fundos e equipamentos diversificados, aparece, neste início do século XXI, com a tarefa árdua de ser mais do que uma simples biblioteca que disponibiliza informação e proporciona fundos documentais de lazer, para aparecer, também, com a possibilidade de ser produtora e organizadora da informação local.

Neste sentido, o Manifesto da UNESCO sobre Bibliotecas Públicas continua vivo,  ao afirmar que algumas das missões-chave das Bibliotecas Públicas são “… promover o conhecimento sobre a herança cultural;… apoiar a tradição oral;  assegurar o acesso dos cidadãos a todos os tipos de informação da comunidade local; proporcionar serviços de informação adequados às empresas locais, associações e grupos de interesse”.

A Biblioteca Pública, através do seu Fundo Local, hoje designado “Vasco de Carvalho”, é fonte primordial para o estudo da História local e está preparado para se constituir como “Portal” da História da região.

Luísa Alvim


 

 

 

 


Anúncios
%d bloggers like this: