Arquivo da página

Fevereiro 2008

BAD Conselho Directivo Regional – delegação Norte

Jacinta Maciel – Presidente
Universidade do Minho | Casa da Leitura

Manuela Barreto Nunes – Vice-Presidente
Universidade Portucalense

Paula Cunha – Tesoureira
Arquivo Histórico Municipal do Porto

Luísa Alvim – Vogal de Formação
Casa de Camilo-Museu-Centro de Estudos

Isabel Costa – Secretária
Câmara Municipal de Valença

Aida Alves – 1º suplente
Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva

António Maranhão Peixoto – 2º suplente
Arquivo Municipal de Viana do Castelo

CONSELHO FISCAL
Helena Gil Braga– Presidente
Arquivo Histórico Municipal do Porto
Ana Azevedo – Vogal
Biblioteca da Faculdade de Engenharia da Universidade. do Porto
Luíza Melo – Vogal
Biblioteca do Dep. de Matemática da Fac. de Ciências da Universidade do Porto

Programa a Direcção BAD Norte

1. COMUNICAÇÃ0
A comunicação é um processo fundamental entre a Delegação Regional da BAD Norte e os seus associados e comunicar implica necessariamente interagir: dar a conhecer, recolher opiniões, debater, agir. A delegação Regional da BAD deve ser um lugar de troca de informações, de experiências e de saberes.
Constitui propósito da presente lista:

Substituir, sempre que possível, e de forma regular, o envio para os associados de informações diversas, notícias, circulares, programas de formação em suporte papel pelo uso do correio electrónico, facilitando a troca de mensagens, a disseminação rápida e agilizada da informação bem como a poupança de diversos recursos e meios;

Organizar fóruns de discussão em linha e ciclos de debates sobre a profissão, sobre a formação e sobre alguns problemas e temáticas candentes que afectam aos profissionais dos vários serviços de informação que actuam na zona Norte;

Fomentar acordos de cooperação com outras associações de profissionais que possam inter-criar e cooperar, na região Norte do país e na Galiza, tanto a nível de formação, realização de projectos e visitas profissionais de estudo:
ANABAD Confederación de Asociaciones de Archiveros,
Bibliotecarios, Museólogos y Documentalistas (comunidades
autónomas de Aragón, Castilla-La Mancha, Galicia, La Rioja y Murcia)
Rede de Bibliotecas Escolares no Norte / DREN
Associações de Professores
Sindicatos da Administração Pública
Delegação da Cultura do Norte
Universidades públicas e privadas (sobretudo as que ministram cursos específicos na área da Ciência da Informação e Documentação)
Editores e livreiros
Encetar aproximações a projectos e instituições associadas a nível nacional e internacional, em diálogo permanente com o Conselho Directivo Nacional da BAD:
Plano Nacional de Leitura; Casa da Leitura; INCITE

2. INFORMAÇÃO

Sabemos quanto a informação é importante. Sabemos quanto pode ser difícil reunir os meios e os recursos para a localização da informação e sabemos ainda quanto pode tornar-se útil e praticamente imprescindível para o dia a dia do profissional da informação, dispor, num único sítio de uma multiplicidade de recursos, de pistas orientadoras e metodológicas, de ferramentas de trabalho e simultaneamente de um espaço de diálogo e de intercâmbio.
Constitui propósito da presente lista:
Criar e desenvolver um blogue oficial da Delegação Regional da BAD Norte que servirá de contacto e diálogo com os associados nos itens: formação, informação geral, profissão, substituindo-se assim, gradualmente à informação recebida em suporte papel, estática e unidireccional.

3. FORMAÇÃO

A formação constitui um dos pilares para o aumento das diversas competências dos profissionais, incrementando nos serviços nos quais estes se inserem, renovados saberes e maior inovação.
Constitui propósito da presente lista
Promover um inquérito em linha sobre necessidades de formação na região Norte
Levar a cabo programas de formação conjuntamente com instituições universitárias do Norte do país (Faculdade de Filosofia de Braga da Universidade Católica, Universidade Portucalense, Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Universidade Fernando Pessoa, Universidade do Minho)
Criar uma carteira de profissionais qualificados cientificamente para darem formação;
Realizar formação “à medida” e por encomenda das instituições, desenvolvendo-se a formação no próprio local de trabalho, podendo a formação, na sua componente prática, interagir no meio e na problemática da instituição onde ocorrerá. O objectivo é ir de encontro às necessidades dos profissionais;
Permitir que os profissionais da informação e da documentação disponham de meios de formação para desenvolvimento pessoal e das instituições onde trabalham, de acordo com os novos desafios da sociedade de informação.
Propor, para a formação contínua dos profissionais da Informação e da Documentação mais formação e-learning, assim como a introdução de novas temáticas de aprendizagem, como por ex.:
sindicação de conteúdos
programas de auto-formação on-line
inglês documental
softwares Open Acess
criação e manutenção de wikis, blogues.
utilização das novas tecnologias Web 2.0 nas bibliotecas e arquivos
visitas de estudo profissionais, acompanhadas por um tutor.

4. PROFISSÃO

Porque a profissão está no cerne das nossas preocupações, ao nível da defesa dos seus interesses e da promoção da sua maior visibilidade na sociedade civil, com maior incidência ao nível regional, constitui propósito da presente lista:
Apresentar e acompanhar o desenvolvimento da certificação dos profissionais da informação no âmbito do Sistema Europeu de Certificação dos Profissionais da Informação e da Documentação e que se baseia no Euro-referencial I-D.
Fomentar, através do maior conhecimento das necessidades dos profissionais que a Delegação regional da BAD norte representa, linhas de actuação concretas com vista à defesa dos interesses profissionais, por exemplo, através da apresentação de propostas e de tomadas de posição face a problemáticas-chave.

5. CAUSAS SOCIAIS

A Delegação Regional da Zona Norte rege-se nomeadamente pelos Estatutos da BAD e pelo Regulamento Interno da Delegação Norte, cabendo-lhe, nessa medida promover uma melhor política e prática de Gestão da Informação, através da defesa do direito à informação.
Constitui propósito da presente lista:
Fomentar uma maior envolvência de todos os associados da Região Norte na criação de actos públicos na sociedade civil, por exemplo, sobre a questão da defesa do empréstimo público gratuito nas bibliotecas portuguesas.
Disponibilizar informações úteis sobre a acessibilidade de pessoas com deficiências a serviços públicos.
Colaborar com as bibliotecas públicas na criação de uma bolsa de voluntariado que possa prestar auxílio domiciliar, no acesso à informação e ao conhecimento, através do livro e da leitura.

___________________________________________________________________________ Março 2008

se o que está prometido é a carne incorruptível, é isso mesmo que eu quero.

Adélia Prado

——————————————————————————————————————–

CONVITE – CAMINHADA DE BLOGUISTAS BAD & LIS: LINHA DO DOURO – 29 E 30 DE MARÇO DE 2008

Sabendo do gosto de muitos de nós por mais um post numa boa conversa… intuindo o gosto

de alguns pelas tags de natureza… imaginando a vontade de links com outros… e, por último,

adivinhando a necessidade para muitos de gadgets com pequenas viagens… nasceu a ideia de

uma viagem-encontro-caminhada de bloguistas e leitores bad & lis.

Um encontro com o objectivo de:

1. Assinalar o primeiro ano após a realização do painel sobre weblogues no IX Congresso

BAD, juntando novamente todos os participantes nesse debate;

2. Promover um espaço de convívio entre bloguistas e leitores no domínio bad & lis,

marcando assim o acentuado crescimento de weblogues destas áreas.

Programa:

09h20 »» Partida »» Porto Campanhã (Comboio)

12h41 »» Chegada »» Pocinho

13h00 »» Início da caminhada

»» Estação do Pocinho »» Apeadeiro do Côa »» Vila Nova de Foz Côa (9 km linha-férrea + 4 km estrada)

18h00 »» Chegada a Vila Nova de Foz Côa

Check-in na pousada da Juventude

19h30 »» Jantar »» “Tertúlia: olhares sobre os weblogues bad & lis”

Dormida na pousada da Juventude

11h14 »» Regresso »» Porto Campanhã »» 14h30

Ou, para quem desejar completar o percurso

10h00 »» Reinício da caminhada

»» Foz Côa »» Castelo Melhor »» Almendra »» Barca D’Alva (4 km estrada + 19 km linha-férrea)

16h00 »» Regresso »» Barca D’Alva »» Pocinho »» Porto »» 20h49

CONVITE – CAMINHADA DE BLOGUISTAS BAD & LIS: LINHA DO DOURO – 29 E 30 DE MARÇO DE 2008

Características do percurso:

Nível médio de dificuldade

1ª Etapa – 9 km linha-férrea + 4 km estrada

2ª Etapa – 4 km estrada + 19 km linha-férrea

Km linha do douro: 174.2 Pocinho, 183.3 Côa, 190.0 Castelo Melhor, 194.5 Almendra, 202.2 Barca D’Alva

____________________________________________________________________________________________

Abril-Maio 2008

Workshop O que é a biblioteca 2.0?

BAD Norte oferece aos associados a workshop

30 Maio | 10h00-18h00 | Casa de Camilo. Museu. Centro de Estudos | S. Miguel de Seide

Formador | Luísa Alvim

Programa

1. Web 2.0

Conceito; Arquitectura de participação; Softwares sociais e sítios sociais

2.  Biblioteca 2.0

Conceito; Atitudes e conteúdos sociais;

Tecnologias

Blogues

Wikis

Redes Sociais

Bookmarks sociais

Podcast

Sistema de etiquetas sociais

Sindicação de conteúdos (RSS)

Folksonomies

Podcasts

Web application programming interfaces (APIs).

Second Life

Linux, Apache, MySQL, and Perl, PHP, ou ainda Python, o Open Source a motorizar os Bastidores

YouTube

3. A construção de uma Biblioteca 2.0

Análise de casos práticos de implementação

OPACs sociais

Comunicação biblioteca – utilizadores

Comunidades virtuais de utilizadores

Métodos de difusão de documentos

Construção colectiva de conhecimento

Outros recursos

4.Reflexões finais; desafios para os profissionais da informação

________________________________________________________________________________

Agosto-Setembro 2008

Meditação para férias: a fundura do quotidiano

Dogen, uma das grandes figuras do budismo Zen Japonês, queria ser admitido como discípulo de um grande mestre. Dogen estava profundamente convencido que tinha encontrado o Mestre que buscava: autêntico, sábio e santo. Queria permanecer a seu lado para aprender. Mas o Mestre recusou. Aparentemente, estaria muito ocupado. Nunca Dogen, teria estranhado se as alegadas ocupações fossem trabalhos intelectuais ou exercícios ascéticos, pregações ou meditações. Ficou estarrecido ao ouvir dos lábios do Mestre a razão para a sua falta de tempo. Este ano era a sua vez de trabalhar no refeitório, diariamente. Portanto, não tinha tempo. Dogen permanecia estarrecido. Na sua mente de principiante não podia imaginar a altura dum mestre e a profundidade dum místico na mesma pessoa agora dedicada a um ofício simples e vulgar: limpar mesas, varrer migalhas, lavar pratos. Passaram-se os anos e, ao cabo de algum tempo, Dogen compreendeu o que se escondia por trás de tanta simplicidade. Para descobrir o absoluto há que aprender a olhar o prosaico e o quotidiano das coisas relativas. Será este um dos temas centrais da sua obra ‘A Arte de Olhar’ [em japonês, shooboogenzoo] .

É sintomática, aliás, a ligação que existe, nestas tradições orientais, entre a vivência funda da identificação com a natureza e o descobrimento do valor eterno do quotidiano. O poeta Bashô [1644-1694], a partir da noção de “capacidade para dar à luz formas sempre novas”, percebia a natureza como um movimento indistinguível do conjunto do universo, o qual, de modo lento e mudo, faz nascer, a cada dia e em cada lugarejo, milagres de novidade. Olhamos atentamente uma planta e não somos capazes de a ver crescer, ainda que a cada momento ela cresça. Ao cabo de uns dias damo-nos conta que floriu. Fê-lo de modo lento, calado e quotidiano. Tratamos de descobrir esse milagre e espantamo-nos: quanto mais comprido o poema, pior é; quanto mais breve, mais evocativo em seu silêncio condensado: “não lhe toques, que assim é a rosa”, teria dito outro poeta, ocidental, que tinha muita mais alma oriental do que ele própria suspeitava…

Juan Masiá, SJ

In , Caminos Sapientiales de Oriente,  Ed. Desclée De Brouwer, 2002.
[Tradução: Paulo Bateira, 2007
__________________________________________________________________________________

uma cama de luz, uma cadeira de silêncio, uma mesa em madeira de esperança, nada mais:

assim é o pequeno quarto de que a alma é locatária.

Christian Bobin

_______________________________________________________________________________________

Bad norte: ser profissional da informação em rede

O blogue oficial da Delegação Norte da Associação Portuguesa dos Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas nasceu há 6 meses! Assim como a  nova direcção que pretende estar próximo dos associados, servir de contacto e constituir-se como espaço de diálogo e de partilha de informação, de notícias e de recursos, com incidência na região norte.
O blogue, para que se torne um instrumento indispensável de informação e de comunicação, continua a contar com a colaboração de todos: do leitor, do colaborador das temáticas mensais,  do colaborador que gentilmente nos envia notícias, dos profissionais que nos visitam e de todos, por esse país fora, que  vão acompanhando as nossas actividades.
Como animadora deste projecto colaborativo, entre associados da BAD e outros cooperadores, fico feliz pela evolução da estratégia da associação e pela presença renovada dos Profissionais da Informação na Web, enquanto plataforma de comunicação e partilha de conhecimentos.
Reforçar a BAD e Valorizar
os interesses dos associados em todos os aspectos relativos às suas actividades e carreiras. Reforçar os laços de solidariedade na profissão. Para uma forma de estar  na profissão mais activa e actualizada.

VER bad norte blogue
________________________________________________________________________________

Ser profissional da informação
O profissional da informação interroga-se sobre o seu futuro. As carreiras profissionais alteraram-se. O que somos? Para onde vamos?

As transformações produzidas pelas inovações nas tecnologias da informação colocam-nos missões e desafios muito importantes, na era da sociedade da informação.

O papel clássico do bibliotecário sempre foi de guiar o utilizador na pesquisa de informação. Hoje pedem-nos que sejamos gestores de recursos e engenheiros da informação.

Podemos compilar as denominações que se utilizam nas ofertas de trabalho para bibliotecas e centros de documentação. Nos EUA são mais de 300 denominações.

A identidade profissional é um assunto da ordem do dia, agora que em Portugal as carreiras de Biblioteca e Documentação terminaram na função pública. Temos que perguntar que lugar é que ocupamos, como é que a sociedade nos vê, se estamos dispostos a mudar e assumir outros papéis.

O perfil actual do profissional da informação tem que responder às exigências das novas tecnologias, tem que identificar o seu campo laboral e convergir os conhecimentos para a informação.

Seremos infonomistas?

_____________________________________________________________________________________

Abril 2010

O desenvolvimento, nas últimas décadas, das redes de comunicação digital e a sua utilização em todas as actividades dos indivíduos e dos grupos sociais criaram condições de comunicação sem paralelo na História da Humanidade e, consequentemente, de partilha de informação e de conhecimento.

A sociedade em rede, como vem sendo designada a nova forma de organização social baseada nas redes de comunicação digital,  não garante o usufruto, contudo, por todos os membros da comunidade, da informação e do conhecimento veiculado por essas redes.

Para maximizar os benefícios sociais e económicos da sociedade em rede, é essencial formular e implementar políticas que, para além do acesso aos meios tecnológicos, optimizem a criação, o fluxo e a utilização de ideias e de informação. As bibliotecas, os arquivos e, em geral, os serviços de informação, enquanto agentes activos na cadeia da informação e infra-estruturas fundamentais para o desenvolvimento integral dos cidadãos e para as actividades de organizações públicas e privadas, constituem parte integrante de políticas de informação abrangentes e articuladas, nas quais devem ocupar um lugar central.

Com o tema “Políticas de Informação na Sociedade em Rede”, o 10.º Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas constitui um fórum privilegiado de reflexão e debate sobre a nova geração de políticas de informação que, no início do século XXI, deverão ser definidas e postas em prática com o duplo objectivo de desenvolver recursos, serviços e sistemas de informação que sirvam toda a comunidade nacional e dotar os cidadãos portugueses com competências acrescidas de literacia da informação.

%d bloggers like this: